Seguidores

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Pelas noites azuis de verão, irei em atalhos sob a lua,
Picotado pelos trigos, pisar a grama pequena:
Sonhador, sentirei nos pés o frescor que acena.
Deixarei o vento banhar minha cabeça nua.

Não falarei, não pensarei em nada sequer:
Mas me subirá na alma o amor soberano,
E irei longe, bem longe, feito um cigano,
Pela Natureza — feliz como se estivesse com meu amor.

Arthur Rimbaud


1 comentário:

Rosa Purpura disse...



Aprecio muito Rimbaud...Em Tempos li-o muito!!!!



Gostei muito!!!

Grande beijo