Seguidores

quinta-feira, 31 de outubro de 2013


e porque NADA SE PODE ACRESCENTAR....rsrsrsrs 

Nada se pode acrescentar
Ao que tenhas a pedir
Se souberes como e quando.

Há sempre um pouco mais
Naquilo que irás encontrar,
Assim deixes que o tempo passe
Mais lento do que o que está

Conforme os gestos e a agitação
De quem tudo sabe e vê. Nada
Se silencia no que vives
Perto ou longe da casa do coração,

Pois tudo cresce para ser,
Ainda que o sopro das vozes
Se faça da intranquilidade do vento.



Almeida, Rui. Leis da Separação. S/c.: Medula Editora, 2013, p 36.

1 comentário:

Rosa Purpura disse...

Olá!!!D. JUAN||||||


GOSTEI DO POEMA!!!

E DA ROSA!!!

BEIJINHOS E UM DOCE DOMINGO PARA TI!!!!!


ROSA PURPURA