Seguidores

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Joaquim Pessoa //// AMAR-TE...


Amar-te é convicção bastante
nos alicerces do dia. Compreendo-te.
Venho de longe e compreendo-te, e para isso
me bastariam os dedos. E os olhos. E a boca. E a dor
do meu sorriso. 
Não nos encontrámos, e não tivemos tempo
para doirar a carne com o leite das estrelas,
 para nos
tocarmos com a sabedoria das mãos das enfermeiras e
a delicadeza do voo das andorinhas. Amar-te é
construir o dia como se de um templo
se tratasse.

 
Joaquim Pessoa

Dia 351. (excerto)
in ANO COMUM, 2.ª Ed.
(Introd. de Robert Simon; Posf. de Teresa Sá Couto)
Editora Edições Esgotadas, 2013.
 
 
 
As palavras mais sinceras
que te posso dizer
são as que saem do fundo dos meus olhos
e sem medo penetram
nos teus
são reis
 
 
 
 
 

1 comentário:

Rosa Purpura disse...

Querido!!
sempre me encantas!!!!!


"Amar-te é convicção bastante
nos alicerces do dia.

Amar-te é
construir o dia como se de um templo
se tratasse."

Belíssimo poema de Joaquim Pessoa(como não podia deixar de ser)....

Doces palavras de São Reis

Lindas rosas.

Beijo grande no teu coração....


rosa