Seguidores

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Nuno Júdice // Écloga




Encontrei o segredo, a chave de vidro
das palavras que escrevo; e tenho medo.
Talvez nos campos imensos, onde o lírio floresce,
na margem de rio que abriga, de manhã cedo,
os teus pés de ninfa, num engano de idade,
me tenhas visto à sombra de um rochedo;
e se os teus lábios, entreabertos num torpor
de romã, me tocaram num sonho bêbedo,
deles só lembro, imprecisos, fluxos
de incêndio numa hipótese de amor.


Nuno Júdice




 Vem, vem até mim, vem-te para mim, vem-te comigo...

1 comentário:

Rosa Purpura disse...



Belo e delicado!!!!

Gosto muito


de Nuno Júdice

um beijo