Seguidores

domingo, 4 de agosto de 2013

ANTÓNIO RAMOS ROSA /// O DESEJO DO CORPO É ENTRAR EM SI MESMO





O desejo do corpo é entrar em si mesmo
e de onda em onda ser uma onda só
que se liberta de todas as amarras
e abre as suas rígidas comportas



Longo subtil e macio é esse gozo
de um túmido movimento que desagua no delta
da nudez extrema em que o corpo encontra
o seu próprio corpo como se fosse um outro



A palavra não pode encontrar-se a si mesma
como se fosse de si mesma outra
porque ela não é um corpo e mesmo quando se despe
a sua nudez é só o anúncio de um corpo inatingível


ANTÓNIO RAMOS ROSA
in AS PALAVRAS (Campo das Letras, 2001)
 
 

1 comentário:

Rosa Purpura disse...

Belíssimo

e sensualíssimo...ESTE Ramos ROSA.

GOSTEI.

belo trabalho sobre o ato de AMAR!

Boa semana para ti


D.Juan

um beijo