Seguidores

domingo, 11 de agosto de 2013

Fernando Campos de Castro. //// E nada mais amor....


E NADA MAIS AMOR
Serenamente
À beira mar
Apenas céu, água e silêncio
À nossa volta
Um oceano no teu olhar
E o voo manso duma gaivota
Voando à solta

E nada mais amor precisaria
Para ser feliz, para viver
Do que ver juntos
À beira mar
Serenamente o amanhecer

E nada mais amor e nada mais
Já me chegava ver-te companheira
Para calar a voz dos vendavais
E adormecer contigo à minha beira

Serenamente
À beira mar
Apenas sol, ondas, areia
E um véu de bruma
O sol poente no teu olhar
E os nossos corpos para sonhar
Lençóis d’espuma

E nada mais amor precisaria
Para ser feliz, para viver
Do que ver juntos
À beira mar
Serenamente o entardecer



Fernando Campos de Castro

1 comentário:

Rosa Purpura disse...




E nada mais amor precisaria
Para ser feliz, para viver
Do que ver juntos
À beira mar
Serenamente o entardecer



Há uma mágica No entardecer que só as almas sensíveis sabem sentir...........

LINDO Poema deste AUTOR

como outros que já vi publicados
"por aqui e dos quais GOSTO MUITO!!!

beijo :)