Seguidores

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Edgardo Xavier

 Não fora o teu olhar a ditar-me o caminho
 e seria mais um na guerra dos sentidos.

Assim, bebo na tua boca a vida e
 aos teus silêncios amarro a minha sede.
 As tuas palavras são a lei do meu espírito
 e o teu corpo o meu campo de luxúria.

Contigo sinto azul em qualquer céu.



EDGARDO XAVIER
 XVIII


 in AZUL COMO O SILÊNCIO (Chiado Ed., 2014)   




1 comentário:

fatima maria disse...

As tuas palavras são a lei do meu espírito
e o teu corpo o meu campo de luxúria.
Contigo sinto azul em qualquer céu.


Beijinho,gostei Conde.