Seguidores

sábado, 19 de setembro de 2015

Edgardo Xavier. //// `A hora dos cardos


À Hora dos Cardos
 
 
Chegas ao meu corpo
 à hora agreste dos cardos
 e sobes em maré vermelha
 alucinada
 Ardo no teu fogo até que a sede se cale
 e o caminho se dilua na noite
 serena
Só depois dispo o tempo
 e a pele onde também te guardava
Persistes
 A memória não se mata
 nem se trava o coração


Edgardo Xavier.

 in " Corpo de Abrigo", Temas Originais, 2011
 Ilustração de Melanie.  



1 comentário:

fatima maria disse...

Ardo no teu fogo até que a sede se cale
e o caminho se dilua na noite
serena

bjinhos.