Seguidores

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Edgardo Xavier //// Abismo

Abismo





Visto pele diferente
 E falas pela minha boca
 Rasgo-me na fúria dos teus medos
 E sangro a tua solidão em cada lágrima
 De luto me pinto como a noite
 E sou escuro
 Vou e venho
 Procuro
Só te acho amor
 No eco do meu choro


Edgardo Xavier

 in " Corpo de Abrigo", Temas Originais, 2011.
 Ilustração de Emerenciano.



1 comentário:

fatima maria disse...

Rasgo-me na fúria dos teus medos
E sangro a tua solidão em cada lágrima
De luto me pinto como a noite

bjinho D.Juan