Seguidores

domingo, 11 de outubro de 2015

são reis

Não persigo
 nem vento nem flores
 caminhos ou cores
 Não consigo
 desenhar sorrisos
 onde ardem dores
 E por qualquer lado
 onde me arraste
 há sempre um canto aziago
 pleno contraste
 com a alvéola aura que me cobre
 com o manto de dor que me veste
 E assim
 de canto em canto
 de mim perdida
 vou vivendo a vida
 nem sempre alegre
 nem sempre triste
 olhando o negrume
 que persiste
 em rodear os meus passos
 e o cinza alabastro
 com que cinzelo as palavras
 uma a uma
 como se fossem obras de arte
 em mim retidas
 e guardadas
 esperando melhores dias
 esperando tocar-te com a leveza
 de uma estrela cadente
 como se fosse canto
 como se fosse gente!...


são reis
 031014.

Foto de São Reis.


1 comentário:

fatima maria disse...

Não persigo
nem vento nem flores
caminhos ou cores
Não consigo
desenhar sorrisos
onde ardem dores
E por qualquer lado
onde me arraste
há sempre um canto aziago
pleno contraste
com a alvéola aura que me cobre
com o manto de dor que me veste


È assim a vida,bjinho Conde.