Seguidores

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Sophia de Mello Breyner Andresen //// A solidão

A Solidão


A noite abre os seus ângulos de lua
E em todas as paredes te procuro
 A noite ergue as suas esquinas azuis
E em todas as esquinas te procuro
 A noite abre as suas praças solitárias
E em todas as solidões eu te procuro
 Ao longo do rio a noite acende as suas luzes
Roxas verdes azuis.
 Eu te procuro.


Sophia de Mello Breyner Andresen 
 
 
 
 

1 comentário:

fatima maria disse...

A noite abre as suas praças solitárias
E em todas as solidões eu te procuro...

beijinho......