Seguidores

sábado, 7 de setembro de 2013

Luís Eusébio Inominado




Primeiro foi o sonho,
Inopinado e louco.
Depois a audácia,
O corrupio, o sufoco.
Foi a nostalgia.
A dor da saudade.
Foi do trabalho o tesão.
Foram dúvidas e inseguranças.
Foi o coma da traição.
Foram os cansaços.
As olheiras. Os olhos baços.
Foram milhentas milhas
Percorridas em mil regaços.
Foi a solidão.
E, foi sempre o sonho.
Sempre a solidão e,
Dos medos o mais medonho.
Foi o bem querer!...
Apenas e só o bem querer!...

Percorri mil anos
A velocidade da luz.
Ultrapassei nebulosas.
Cabeceei asteróides
Para balizas imaginárias.
Doei os anéis de Saturno
A ninfas alucinadas.
Contornei buracos negros.
Fiz amor nas crateras da Lua
Com camisas de Vénus.
Fui amante duma marciana,
Louca e insaciável,
Loura e insociável.
Mandei para os raios que o partam...
......O Sol.
Passeei-me por Mercúrio...
......Crómio.
Julguei sarar minhas feridas.

Perdi Galateia. Perdi tudo.
E, eu próprio, perdi-me
Em qualquer parte.

Percorri mil anos
A velocidade da luz!...
De repente, o breu.
A ausência total de luz.
De repente, a dor.
De repente, a mais profunda,
A mais pesada das solidões:
Eu em busca de mim!


Luís Eusébio

Foto:Andrzej Dragan

1 comentário:

Rosa Purpura disse...

LINDO POEMA!!!!

existencialista?????!!!!

niilista???!!!

Ou apenas uma crise existencial do autor?????!!!!!

SEJA O QUE FÔR...È UM EXCELENTE TRABALHO DE LUÍS EUSÉBIO

BEM COMO OS OUTROS DOIS PUBLICADOS!!!

BELÍSSIMAS ESCOLHAS ESTAS:::::

Gostei Muito!!!

PARABÉNS!!!


Rosa Purpura