Seguidores

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

ESCREVO-TE ONDE A LUZ É FEITA DE PAPOILAS





Clareiras onde pássaros
piam ecos coagulados

Memórias transpiradas,
em vozes que desaguam no teu silêncio,
e o teu corpo forma-se no ar,
tecido de nuvens.

sinto-te nas frágeis linhas
da tua ausência

Sou margem do rio onde a tua poeira
se mistura com a fúria das sílabas.

Descubro o teu rosto e escrevo o teu nome
nas folhagens das nuvens
onde os corpos são
formas de vento


............................................................................................................................................
Descubro o teu rosto e escrevo o teu nome
nas folhagens das nuvens
onde os corpos são
formas de vento........

Maria de Sousa






2 comentários:

Rosa Purpura disse...



....Descubro o teu rosto e escrevo o teu nome
nas folhagens das nuvens......


É nas coisas mais simples da VIDA....

que por vezes o nosso coração se identifica...quando a BELEZA e a TERNURA...

Entram sem PEDIR LICENÇA...e

FIAM FRENTE A FRENTE COM A EMOÇÃO!!!!!!


UMA DELÍCIA!!!!!!


Beijinhos


ROSA PURPURA

OutrosEncantos disse...

só p'a deixar um abracinho.
é lindo o teu poema.