Seguidores

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Eu trago a sabedoria dos que escutaram sentados



Alexandra Quadros

- Eu sou todas as estradas que nunca percorreste,
sou todos aqueles com quem nunca viveste,
sou a alfazema, o açafrão e as estepes do norte.
Eu sou a neve, e também a espuma.
Sou o negro do carvão e o amarelo do trigo.
Trago um diamante no nariz e ouro na minha orelha.
Eu sou a paixão e também a morte.

Sou o canto profundo e a brisa quente da manhã.
Sou o desejo que te consome de madrugada
e o desejo que te desperta a meio da tarde.
Eu sou aquele que nunca pára.


Eu trago a sabedoria dos que escutaram sentados.
Trago o calor do mediterrâneo.
Eu sou a mistura das línguas e a língua universal,
molhada, intensa, imperceptível, perturbadora.
Eu sou o negro mas também o calor do fogo.
Eu sou a suavidade de um pé descalço
a pisar a terra macia,
sou a força de um salto a enfrentar-se na madeira.
Tenho muitos anos, muitas vidas.
E não sou tempo nenhum.


Alexandra Quadros


de O Eléctrico, Colecção Textos Extraordinários, nº28, Padrões Culturais Editora



2 comentários:

fatima disse...

Lindissimo!!!!!!!!!!!!

Eu sou a suavidade de um pé descalço
a pisar a terra macia,
sou a força de um salto a enfrentar-se na madeira.
Tenho muitos anos, muitas vidas.
E não sou tempo nenhum.

Beijokas Conde.

Butterflyfly Blue disse...

,,,,Eu trago a sabedoria dos que esperam sentados/

,,,,,Tenho muitos anos muitas vidas,
E não sou de tempo nenhum.

Muito lindo!!!!!!!

beijinhos