Seguidores

domingo, 20 de janeiro de 2013

De: Fernando Namora

Alheamento Meu corpo estiraçado, lânguido, ao logo do leito.
 
O cigarro vago azulando os meus dedos.
 
O rádio... a música...
 
A tua presença que esvoaça
em torno do cigarro, do ar, da música...
 
Ausência!, minha doce fuga!
 
Estranha coisa esta, a poesia,
que vai entornando mágoa nas horas
como um orvalho de lágrimas, escorrendo dos vidros
duma janela,
 
numa tarde vaga, vaga...
 
 
Fernando Namora, in 'Mar de Sargaço
 
 
 

1 comentário:

Butterflyfly Blue disse...

OLÁ.

PENSO J-A TO TER DITO,MAS HOJE,VOLTO A REPETIR-TO.

´PASSAR POR AQUI É SEMPRE UM GOSTO......


UMA VOLÚPIA TRANSVERSAL...

QUE PERCORRE O CORPO...E...A ALMA!11

MUITOS BEIJOS: :)))