Seguidores

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

BASTAVA-NOS AMAR. E NÃO BASTAVA




JOAQUIM PESSOA, in PORTUGUÊS SUAVE (1979), in 125 POEMAS - ANTOLOGIA POÉTICA (Litexa, 1982)


Bastava-nos amar. E não bastava
o mar. E o corpo? O corpo que se enleia?
O vento como um barco: a navegar.
Pelo mar. Por um rio ou uma veia.

Bastava-nos ficar. E não bastava
o mar a querer doer em cada ideia.
Já não bastava olhar. Urgente: amar.
E ficar. E fazermos uma teia.

Respirar. Respirar. Até que o mar
pudesse ser amor em maré c
heia.

Marcia.


E bastava. Bastava respirar
a tua pele molhada de sereia.
Bastava, sim, encher o peito de ar.
Fazer amor contigo sobre a areia.








1 comentário:

Butterflyfly Blue disse...

OLÁ!CONDE!!!!

É sempre um gosto,ler Joaquim Pessoa!

Nele...o AMOR...não é um meio para atingir um fim....

Nele...o AMOR...é em si MESMO...

O PRINCÍPIO e o FIM...

beijos