Seguidores

segunda-feira, 1 de julho de 2013

De João Carlos Esteves, in "INVENTEI-TE AS MANHÃS" /// CÂNTICO

CÂNTICO


há um cântico adormecido
na orla da minha existência

a melodia esconde-se difusa
em despojos de noites e indícios de alvoradas
como um pássaro distante
beijado pela impressão de um horizonte apaixonado

há um som quase invisível
nas veredas da minha alma

insinua-se, de mansinho,
como uma flor a desabrochar no bailado das manhãs
promessa que foi crisálida na transformação do ser

há uma palavra guardada
nos mares do meu sentir

com ela danças no seio das estrelas
e amarras o seu som
ao teu peito enamorado



João Carlos Esteves, in "INVENTEI-TE AS MANHÃS"


 





3 comentários:

Butterflyfly Blue disse...

OLÁ!!!!!


revelado é o Amor, no silêncio intimista -dos que se amam,sem ruído...................
"



insinua-se, de mansinho,
como uma flor a desabrochar no bailado das manhãs
promessa que foi crisálida na transformação do ser..........."

Mágico!!!!!!!!!!!

Gostei da partilha


Um beijo
querido conde!








fatima disse...

Adoreiiiiiii!!!!!!!!!!!

há uma palavra guardada
nos mares do meu sentir

Beijinho Conde........

fatima disse...

há uma palavra guardada
nos mares do meu sentir

com ela danças no seio das estrelas
e amarras o seu som
ao teu peito enamorado

Beijinhos Conde