Seguidores

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Joaquim MONTEIRO /// A mulher




A mulher avança resoluta para o mistério
Na imponderável percepção de ser luz

Caminha pela orla da praia
Procurando alimento para os olhos
Com que à noite iluminará a casa de amor

Corre a mulher para o alto fulgor das bocas
E é maná que se dissolve lentamente
Preparando o sangue para as sublimes exigências,
Tocando ao de leve a fímbria do imaginário manto

Cura as feridas com sua saliva ardente
Penetrando, as fendas mais profundas, descobre,
O ponto original da febre, e guarda-a no seu
Coração de noiva, transbordante de alegria

Corre à noite os compartimentos da casa,
Vigiando, com o seu alto sentido maternal,
Se, tudo está no lugar que suas mãos tocam
Fechando, as persianas a qualquer olhar intruso.

Solta os cabelos e espalha o aroma pelo leito d’alegria
E espera que o amor a afague, sonhando num novo dia.

Joaquim MONTEIRO

 
 
 
 
 
 
 

1 comentário:

Rosa Purpura disse...



QUERIDO:


A mulher avança resoluta para o mistério
Na imponderável percepção de ser luz.

a MULHER ILUMINA-SE,QUANDO O AMOR É UMA VISITAÇÃO!

BEIJO PELOS LINDOS POEMAS E PELA TUA SENSIBILIDADE NAS ESCOLHAS PUBLICADAS