Seguidores

sábado, 23 de março de 2013

De : Joaquim Pessoa

 
Estes pequenos pensamentos são pequenas orações
de fidelidade ao teu corpo. Quem dera
que escutasses, destas horas, o cantar do sul,
as persianas do vento debaixo das estrelas,
os meus passos lá fora sobre a relva, junto
a uma imensa rosa de água azul.
Está tão quieto o ar. Tão sem ar o ar,
que o amor sufoca. A cama tem apenas
o aroma dos pinheiros por lençol. Sobre a pele dos mares,
a curva dos teus lábios, nenhuma brisa sopra.
No umbral da porta a manhã aguarda o teu sorriso,
esse jeito de acordar os pássaros do sol.
No pequeno jardim, entre as rápidas chamas da sardinheira
e o fresco ardor da madressilva,
as abelhas procuraram já o teu perfume.
 
 
 
 

1 comentário:

Butterflyfly Blue disse...



Olá!!!!!!D. Juan

Como já tenho dito,Joaquim Pessoa é um dos meus poetas de eleição.


Ñele o AMOR é "circular"
Não tem princípio nem fim....
É como se fosse o ALFA e o ÓMEGA..
Emanado da fonte a ela retorna...

Amei

Beijos no teu coração