Seguidores

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

isabel de carvalho sousa ( de Lua Diurna.)

Silêncios vivos



Guardo-te nas memórias
de um tempo luz....
um tempo de palavras inseguras...
de silêncios vivos
a resguardar as manhãs de azul .
No amor, profanado por esfinges,
ocultam-se imagens rebatidas...
são de pedra , os olhos e as mãos...
os sonhos
gemem e ardem.
Silêncios abrem-se
na noite dos poemas,
ao desabrigo das palavras .





isabel de carvalho sousa 

(   LUA  DIURNA  )  





1 comentário:

fatima maria disse...

Guardo-te nas memórias
de um tempo luz....
um tempo de palavras inseguras...
de silêncios vivos
a resguardar as manhãs de azul .

bjinhos.