Seguidores

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

PABLO NERUDA /// Soneto de Amor




Talvez não ser é ser sem que tu sejas,
sem que vás cortando o meio-dia
como uma flor azul, sem que caminhes
mais tarde pela névoa e os ladrilhos,

sem essa luz que levas na mão
que talvez outros não verão dourada,
que talvez ninguém soube que crescia
como a origem rubra da rosa,

sem que sejas, enfim, sem que viesses
brusca, incitante, conhecer minha vida,
aragem de roseira, trigo do vento,

e desde então sou porque tu és,
e desde então és, sou e somos
e por amor serei, serás, seremos.
......................................................................................................................................
e desde então sou porque tu és

beijo

Mariana.
PABLO NERUDA
 
 

1 comentário:

Rosa Purpura disse...

oLÁ!!!conde!!!



Mais um ENCANTO DE NERUDA..
ONDE(

como sempre)
A PAIXÁO DÁ CORPO A UM AMOR SUBLIME que se retrata nestes versos tão encantadores...................


"e desde então sou porque tu és,
e desde então és, sou e somos
e por amor serei, serás, seremos."

beijo no teu coração


rosa purpura