Seguidores

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Natércia Freire. /// AMOR



AMOR


Vibrátil, fina, perfumada e clara
ondula a aragem que o amor provoca.
Longe respira a vida. Aqui o sonho.
Tudo é infância de águas e colinas
Na manhã dos teus olhos.
E vôos de mãos dadas.
E cantos, cantos de infinito amor,
Nos galhos, nas correntes e nas sombras veladas.




Envolve-se de nuvem nosso abraço.
Vibrátil, fina, perfumada e clara
ondula a aragem. Fadas e duendes
agitam instrumentos na folhagem.



Vibrátil, fina, imperceptível, fluída
orquestra ao longe. Ao fundo dos sentidos.
Dedos de flores ondeiam sobre a pele
de Céus indefinidos.


Cantam mistérios bocas fascinadas.
Abrem corolas sob a luz que as toca.
Vibrátil, fina, perfumada e clara
ondula a aragem que o amor provoca


Natércia Freire.
 
(in «Poemas»)


in «Caminhos da Moderna Poesia Portuguesa»,
sel. e organiz. de Ana Hatherly
Colecção Educativa, número 8, D.G.E.P
.
 

1 comentário:

Rosa Purpura disse...


Querido D.JUAN

Adorei este poema!!!é "dos tais" que me emocionam até ao arrepio....

Pela forma
pela sensual candura virginal...
um AMOR que RENASCE
e
FAZ RENASCER...o SONHO E A VIDA!!!

"Tudo é infância de águas e colinas
Na manhã dos teus olhos"

LINDOOOO!!

Beijo Grande no teu coração


Rosa purpura