Seguidores

sábado, 10 de setembro de 2016

Laura Santos


Impermanência

                                                            J.J. Cazin



                                                       Sinto em mim a falta de um alguém
                                                       A falta de um alguém que seja eu
                                                       Pois embora seja não sou porém
                                                       Diluída num sol que entardeceu

                                                        Sei que existo e não estou em mim
                                                        E de tanto me vislumbrar assim
                                                        Sendo o direito e o meu avesso
                                                        É difusa a noite que atravesso

                                                        Em mim fico e de mim me ausento
                                                        Quando tantas vezes me preciso
                                                         E só fico em mim por um momento

                                                         O encontro comigo é fugaz
                                                         O instante passa  só releva
                                                         O ser que em mim emerge e se desfaz   
 
 
 
 
Laura Santos    
 
 
Clique no endereço :
 
 
                                                                        

1 comentário:

fatima maria disse...

Sei que existo e não estou em mim
E de tanto me vislumbrar assim
Sendo o direito e o meu avesso
É difusa a noite que atravesso

Em mim fico e de mim me ausento
Quando tantas vezes me preciso
E só fico em mim por um momento


bjinhoooo....