Seguidores

domingo, 3 de janeiro de 2016

são reis


Há qualquer coisa de belo
 nos teus olhos fechados
 e não é o castanho da tua pupila
 nem a cor da tua iris
Há qualquer coisa de mágico
 nesse teu semi sorriso
 nesse teu ar abandonado
 com que sentes o vento bater-te no rosto
Talvez seja apenas impressão minha
 mas eu diria que esperas ansiosa essa brisa nocturna
 que todos os dias te acaricia
 que todos os dias delicada te toca
 como só algo doce consegue tocar alguém
 quase imperceptível
 mas ao mesmo tempo com tamanha paixão
 como se tivesse dedos
 e todos eles mergulhassem dentro de ti ao mesmo tempo
 virando-te de dentro para fora
Há algo de belo e misterioso
 nesse teu pescoço de garça
 altivo e majestoso
 arfando com a delicadeza de um nenúfar
 que se abre e fecha conforme o sol lhe bate
E as palavras que sufocas na garganta?!
 que te cortam a respiração
 e te ferem como punhais ensaguentados
 com flores rubras no seu gume
 aciduladas e altivas
 tão capazes de te roubar o ultimo sopro
 como te devolver à vida de um só golpe
E aqueles segundos que te separam
 da vida e da morte
 em que voluntariamente te ofereces
 são tudo o que eu preciso para saber
 que em ti tudo é intenso e verdadeiro...

 ...porque é assim que deve ser!...

 são reis
 
 
 
 
 
 

1 comentário:

fatima maria disse...

Há qualquer coisa de mágico
nesse teu semi sorriso
nesse teu ar abandonado
com que sentes o vento bater-te no rosto

Gosto muito da São Reis......

beijokas...