Seguidores

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Fernando Jorge Benevides


Do poema "Grito surdo"

Noite adentro sob o manto da vida é
onde me encontro com as duvidas
triste sozinho sempre falando pouco
transponho a palavra inaudível

Possuo um olhar distante, profundo, fugido
fechado sobre mim mesmo apenas sorrio
ilumino-me contemplando afectuosamente
o toque do luar... aquele mesmo luar
que no seu voo doce e sem pressa me acolhe

Soam-me os problemas que tanto me incomodam
encontro-me entre perguntas e respostas
entre as soluções que tanto procuro

Devorado pelo cansaço deixo-me dormir
sonho com a chuva caindo calmamente
pingo... pingo...pingo no meu dormitar

Viajo por outros mundos onde o céu torna-se colorido
sonho com a felicidade deliciando-me com as estrelas
que me ciciam poemas de amor
na inocência de um grito surdo
mergulho no meu profundo amar.


Autor: Fernando Jorge Benevides
Excerto do poema "Grito Surdo"
Publicado In "O Grito do Silêncio"
Foto: Do poema "Grito surdo"     Noite adentro sob o manto da vida é  onde me encontro com as duvidas  triste sozinho sempre falando pouco  transponho a palavra inaudível    Possuo um olhar distante, profundo, fugido  fechado sobre mim mesmo apenas sorrio  ilumino-me contemplando afectuosamente  o toque do luar... aquele mesmo luar  que no seu voo doce e sem pressa me acolhe    Soam-me os problemas que tanto me incomodam  encontro-me entre perguntas e respostas  entre as soluções que tanto procuro    Devorado pelo cansaço deixo-me dormir  sonho com a chuva caindo calmamente  pingo... pingo...pingo no meu dormitar    Viajo por outros mundos onde o céu torna-se colorido  sonho com a felicidade deliciando-me com as estrelas  que me ciciam poemas de amor  na inocência de um grito surdo  mergulho no meu profundo amar.    Autor: Fernando Jorge Benevides   Excerto do poema "Grito Surdo"  Publicado In "O Grito do Silêncio"  Imagem net.

1 comentário:

Rosa Purpura disse...


olá D.Juan!!!!

um pouco de todos nós...

o abraço da noite...a magia das estrelas...o retirar das máscaras....o rencontro com nós mesmos....ou simplesmente a fuga,,,

gostei muito deste trabalho de FJB

beijo conde