Seguidores

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Salvador Arnau //// Ya no te siento

Uma poesia de Salvador Arnau
 
 
 
 
Ya no te siento
 
 
Salvador Arnau
 
 
No me mientas, no digas que fue sueño,

no escondas tu mirada de la mía,

no intentes refugiarte de la dicha

que un día me entregaste sin saberlo.
 
 
No importa, ya no quiero echar el leño

que ardía en aquel fuego de energía,

amando a cielo abierto y la alegría

que irradiaban tus ojos sin quererlo.
 
 
No vuelvas a decir: "ya no te siento";

tampoco me arrepiento, ya no hay prisa

por esperar tu amor en cada esquina,

por sentir el calor de tu silencio.

 

Já não te sinto
 

Não me mintas, não digas que foi sonho,
não escondas o teu olhar no meu,
não procures te refugiar na fantasia

de que um dia me entregaste sem sabê-lo.
 
 
Não importa, já não quero achar o lenho

que naquele fogo de energia ardeu,
amando a céu aberto e com a alegria

que irradiavam teus olhos sem querê-lo.
 
 
Não voltes a dizer: “já não te sinto”;

tampouco me arrependo, já não há pressa

por esperar teu amor em cada esquina,
por sentir o calor de teu silêncio. 
 
Salvador Arnau 
 
 
 

1 comentário:

fatima maria disse...

Não importa, já não quero achar o lenho

que naquele fogo de energia ardeu,
amando a céu aberto e com a alegria

que irradiavam teus olhos sem querê-lo.

Bjinho Conde..