Seguidores

sábado, 20 de outubro de 2012

E porque não???????

IMUTÁVEL
·
© Francisco Valverde Arsénio


Deixa-me ser assim

como as aves

e volátil como o vento

que me habita por dentro.



Deixa-me ser assim,

pequeno grão de areia

que não cabe na imensidão do deserto;

ser a pétala vermelha duma papoila,

a asa dum pardal


e a ponta difusa duma estrela.



Deixa-me ser assim,

vagabundo

como a luz do farol

e o traço indefinido

deixado por um avião.



Deixa-me ser assim

de olhar que foge


e de passos com reflexo,

desenhar as nuvens,

a chuva,

o vento e o mar;

deixa-me libertar a primavera

agrilhoada na flor

e limpar os olhos húmidos de sonhos.



Deixa-me ser assim… eu.

2 comentários:

Satine Rouge disse...

Admiro...
Tua obra, teus escritos, tuas imagens, teu espaço.
Grata pela presença, pelas opiniões, enfim... Volte sempre!

Beijocas.

Butterflyfly Blue disse...

OLÁ!!!CONDE!!!!!


Tão LINDO!!!!!!Este POEMA!

Será que se poderá reabilitar assim,sentimentos ....tão longe no tempo?????

Reabilitar a pureza de sentir e a possibilidade de sonhar?????

AMAR como se da VEZ PRIMEIRA SE TRATASSE????

"Deixa -me libertar a Primavera.......


......Deixa-me ser assim .....EU..."


Lindíssimo!!!!!!!


Gostei muito...

um beijo