Seguidores

domingo, 13 de dezembro de 2015

Francisco Valverde Arsénio






 Adormeci sobre este poema
 inacabado,
 esqueci as palavras
 antes de o sonho me embalar,
 apertei os dedos
 em dormência
 onde os versos se aconchegaram.
 Bate-me no peito
 aquele instante nosso
 e as letras formam
 pequenas partículas dispersas.
 Não quero mais marés,
 quero-te oceano de águas puras,
 quero-te no bulício dos amantes.
 Adormeci sobre os olhares que trocámos
 e o momento em que me sorriste.
 Calada,
 a minha voz sai dos sonhos
 e confunde as nuvens,
 é um grito de boca cerrada.
 Adormeci contigo nos meus braços.

Francisco Valverde Arsénio  


1 comentário:

fatima maria disse...

Calada,
a minha voz sai dos sonhos
e confunde as nuvens,
é um grito de boca cerrada.
Adormeci contigo nos meus braços.

Beijinhos,ando muito cansada.......