Seguidores

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

EDGARDO XAVIER //// Decifra-me....


 DECIFRA-ME
 Que os teus dedos não fiquem
 sem rumo
 à superfície da sede
 Que a tua boca não seque no sal
 de um mar inútil
 de memórias
 Pedras e lagrimas
Procura-me
 na terra mais fértil
 ou na aridez do caminho
Lê-me
 no silêncio dos dias sem idade
 sem destino
Sou eu o fogo do teu sol

EDGARDO XAVIER  



1 comentário:

fatima maria disse...

Lê-me
no silêncio dos dias sem idade
sem destino
Sou eu o fogo do teu sol

beijinho,D.Juane