Seguidores

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Francisco José Viegas /// As minhas areias


Desenha, sobre um mapa onde as ilhas possam flutuar
e as brancas penínsulas se abandonem às aves,
a incerteza do maior amor ou a tranquila
oscilação dos barcos nas enseadas onde o Inverno
pode adormecer. Na solidão, na noite, não demores
o tempo entre os anéis, os dedos tocam sempre
esses despojos de antigas navegações.
Por isso, nas horas tranquilas , entre as falésias,
dedico-me a essa ocupação de recolher o que as marés
trazem às praias, como se fosse ao coração

Francisco José Viegas 


1 comentário:

fatima maria disse...

o tempo entre os anéis, os dedos tocam sempre
esses despojos de antigas navegações.
Por isso, nas horas tranquilas , entre as falésias,
dedico-me a essa ocupação de recolher o que as marés
trazem às praias, como se fosse ao coração


bj.......