Seguidores

segunda-feira, 18 de abril de 2016

ARTUR EDUARDO BENEVIDES

Em minhas mãos tomo teu rosto agora
E não sei se esse gesto vai ferir-me.
Não sei se fico aqui, pensando em ir-me,
Ou se a teus pés sucumba sem demora.
...
Tenho medo de amar! Vou demitir-me
Desse ofício de sonhos. Vou-me embora.
Mas, o Amor me chama e nele ancora
O meu jeito de ser e de exprimir-me.
Tomo teu rosto, então, por um minuto.
Um grande amor, do eterno claro fruto,
Envolve-me de todo e com loucura.
Entregue fico então ao meu desejo
E ficas em meus braços e te beijo
E morres de prazer e de ventura.


ARTUR EDUARDO BENEVIDES 
 
 
 
 

1 comentário:

fatima maria disse...

uiiiiiiiiiiiiii

Um grande amor, do eterno claro fruto,
Envolve-me de todo e com loucura.
Entregue fico então ao meu desejo
E ficas em meus braços e te beijo
E morres de prazer e de ventura.

bjinho.