Seguidores

domingo, 2 de novembro de 2014

Poema de São Reis

É como se te abraçasse
ao me abraçar
como se te beijasse
ao me beijar
como se ao meu nome se sobrepusesse o teu
e fosse essa a única verdade
a única realidade
que me acorda os sentidos
a única que verdadeiramente me importa
Como se o teu nome
fosse tão-somente o refrão
de uma velha canção
que me baloiça nos lábios
desde sempre
como se fosse um pião
de movimentos tão precisos e sábios
que gira destramente
não importa quantas voltas lhes dês
onde basta a primeira sílaba
para que eles me adivinhem o resto
ainda que eu feche os olhos
e me alheie de tudo
Ainda que eu nada veja e tudo emudeça
E ainda que por breves momentos eu enlouqueça
e me pareça
que não sou eu quem me abraço
mas que és tu que estás aqui


são reis .



1 comentário:

fatima maria disse...

E ainda que por breves momentos eu enlouqueça
e me pareça
que não sou eu quem me abraço
mas que és tu que estás aqui

bjinho,Conde..........