Seguidores

domingo, 2 de novembro de 2014

Laura Santos //// CHUVA.....


                              
                               Águas caíram, galgaram a margem.
                               Não há nuvem que sempre dure
                               Nem leito de rio que perdure
                               Seco, não vibrante na paisagem.
                               Choveu. Mesmo agora.
                               Lá fora e dentro de ti.
                               Não há no entanto
                               Desencanto pelas fragas.
                               Apenas ecos dispersos pelo monte
                               Anunciando sem mágoas
                               A eterna juventude dos deuses
                               A cintilar em cada fonte.
                               Pardais partiram em debandada
                               Sacudindo as pesadas penas
                               Em esvoaçante, fulminante segundo;
                               Transportando p'lo imenso arvoredo
                               Gotas de luz p'ró interior do mundo.

Laura Santos  





1 comentário:

fatima maria disse...

A eterna juventude dos deuses
A cintilar em cada fonte.
Pardais partiram em debandada
Sacudindo as pesadas penas
Em esvoaçante, fulminante segundo;
Transportando p'lo imenso arvoredo
Gotas de luz p'ró interior do mundo.

Bjinhoooo......