Seguidores

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

De: Miguel Torga, in 'Penas do Purgatório'


Inocência  
The Sun by the Atmospheric Imaging Assembly of NASA's Solar Dynamics Observatory - 20100819.jpg
Vou aqui como um anjo, e carregado 
De crimes! 
Com asas de poeta voa-se no céu... 
De tudo me redimes, 
Penitência 
De ser artista! 
Nada sei, 
Nada valho, 
Nada faço, 
E abre-se em mim a força deste abraço 
Que abarca o mundo! 

Tudo amo, admiro e compreendo. 
Sou como um sol fecundo 
Que adoça e doira, tendo 
Calor apenas. 
Puro, 
Divino 
E humano como os outros meus irmãos, 
Caminho nesta ingénua confiança 
De criança 
Que faz milagres a bater as mãos. 


Miguel Torga, in 'Penas do Purgatório'

2 comentários:

disse...

E abre-se em mim a força deste abraço Que abarca o mundo!

Lindo uma maravilha que Miguel Torga
nos brindou......amo este poema de verdade!!!!!!

Beijos achocolatados.......CONDE

Butterflyfly Blue disse...

olá Conde!!!!
lúcido e humilde ...como só os GRANDES...SABEM SER...Miguel Torga,sempre soube onde era o seu LUGAR....

"Vou aqui como um Anjo e
carregado de crimes!

Tudo amo,admiro e compreendo...
Sou como um sol fecundo
caminho nesta ingénua
confiança
de criança!
de criança...

e que seja sempre assim....

BEIJO