Seguidores

sábado, 5 de agosto de 2017

dinapoetisadapaz




Desilusão


Entreguei-me a ansiedade de tê-lo.
Esperei como o amanhecer espera o sol,
Era imenso o brilho dos meus olhos...

Enfim, vieste...,
Solícito, cheio de ternura.
Uma lágrima caída em minha face
confessou todo meu afeto.

Mas, foste fraco
ao primeiro obstáculo,
como uma onda que se desmancha
na areia  e morre,
assim  morreu seu falso querer.

Como chuva,
Todas as palavras ditas,
caíram por terra.
Não há desilusão que perdure
Em coração ávido de superação.

3 comentários:

brisonmattos disse...

eita falta de sexo!

fatima maria disse...

Bjs....

fatima maria disse...

Mão há desilusão que perdure!!!beijoooo.