Seguidores

quinta-feira, 10 de março de 2011

Blues da morte de amor.....




Já ninguém morre de amor, eu uma vez
andei lá perto, estive mesmo quase,
era um tempo de humores bem sacudidos,
depressões sincopadas, bem graves, minha querida.
mas afinal não morri, como se vê, ah não
passava o tempo a ouvir deus e música de jazz,
emagreci bastante, mas safei-me à justa, oh yes,
ah, sim, pela noite dentro, minha querida.

a gente sopra e não atina, há um aperto
no coração, uma tensão no clarinete e
tão desgraçado o que senti, mas realmente,
mas realmente eu nunca tive jeito, ah não,
eu nunca tive queda para kamikaze,
é tudo uma questão de swing, de swing minha querida,
saber sair a tempo, saber sair, é claro, mas saber,
e eu não me arrependi, minha querida, ah, não, ah, sim.

há ritmos na rua que vêm de casa em casa,
ao acender das luzes. uma aqui, outra ali.
mas pode ser que o vendaval um qualquer dia venha
no lusco-fusco da canção parar à minha casa,
o que eu nunca pedi, ah, não, manda calar a gente,
minha querida, toda a gente do bairro,
e então murmurarei, a ver fugir a escala
do clarinete:- morrer ou não morrer, darling, ah, sim.

Vasco Graça Moura

Foto:Oleg Seleznev

4 comentários:

*Mi§§ §impatia* disse...

Ah a vida me ensinou que ninguem morre de amor não, até chegamos perto rs
Beijos querido.

Marcia Morais disse...

Bom dia Conde! sempre um show de postagens bom fim de semana querido!

Evanir disse...

Feliz da vida encontrei seu blog.
Aqui tem tudo de bom,poema ,imagens e por fim uma bélissima musica.
Te seguindo .
Um feliz final de semana beijos,Evanir..
http://aviagem1.blogspot.com/

Feiticeira disse...

Quantas vezes pensei que ia morrer de amor? Muitas é minha resposta.

Mas algo surge dentro de nós e não nos deixa morrer, e outra vez achamos que vamos morrer e mais uma vez sobrevivemos

Porque?

Porque acreditamos o amor se um dia pode a vir nos trazer a dor de pensar na morte, também nos traz a alegria de amar, ser amado

Então meu Querido vamos amando, as vezes pensando que a morte, mas sempre ressurgindo das cinzas e novamente amando.

E tendo no coração os amores, que um dia nos fizeram pensar que morreríamos mas que a lindas lembranças de tempos felizes nos deram forças e voltar a amar

Te adoro

Adorei as musicas, as imagens


Beijinhos doce com amor e sem vontade de morrer