Seguidores

segunda-feira, 14 de março de 2016

Ricardo Águia Livre

Quando os sentidos guiam meu corpo ardente


 
Quando os sentidos guiam meu corpo ardente
Pelas ruelas que o teu corpo me quer oferecer
Sinto em mim um desejo forte e consequente...

Em caminhar em ti, entregando-te o meu ser
Fixo meu olhar numa estrela da noite escura
Sorrio no sentimento do sonho em esplendor
Saboreio teu beijo repleto de mélica doçura
No sossego da fantasia, chamo-te: Meu amor
Sinto a cama vazia de esperança vil solidão
No resplendor do querer em sonho e ilusão
Surge a luz da palavra num desejo carente
Sobre os lençóis molhados do meu embaraço
Descansa a força intemporal do meu cansaço
Quando os sentidos guiam meu corpo ardente


 .
Publicada por Ricardo Águia Livre
 
 
 

1 comentário:

fatima maria disse...

Sobre os lençóis molhados do meu embaraço
Descansa a força intemporal do meu cansaço
Quando os sentidos guiam meu corpo ardente

muito belo,bjinho...