Seguidores

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Outono ....




Este frio que me penetra na alma
Esta lucidez amarga
Este Outono triste
Pessoas com o rosto cerrado
Parece que tudo fica mais negro
Olho em volta e vejo anónimos
No ritual da manhã
A beber o café
Saem apressados para o trabalho.
Passam as horas,
Voltam como autómatos para casa
Jantam, vêem televisão, deitam-se…
No dia seguinte tudo se repete
Onde estão os afectos?
Onde está o calor humano?
Cada vez há mais solidão.
Não se vive, vegeta-se…

Foto:Jerry Uelsmann

2 comentários:

Marcia disse...

Meu lindo vim te ler....e me aconchegar por aqui.bjos e bom fim de semana!

fatima disse...

Outro belo poema,pela escrita,me parece da poetisa,Helena Guimaraes.......beijo.....