Seguidores

terça-feira, 18 de maio de 2010




BAGDAD

Antonio Gala


Bagdá

Tinha tanta necessidade de que me amasses,
que sem nada mais ver declarei meu amor.
Tirei minhas luzes, pontes e rodovias,
roupas artificiais.
E te deixei nua, inexistente quase,
sob a lua e minha.
As princesas sumérias,
quando foram queimadas com jóias brilhantes,
ainda assim brilhavam os seus dentes jovens;
seus crânios se quebraram antes de seus colares;
se fundiram seus olhos antes de suas medalhas ....
Sob a lua ainda brilhavam seus dentes,
quando te possui nua e minha.

2 comentários:

segredo disse...

Mais importante do k o possuir nua será o possuir tua!
A lua...a noite...perfeita companhia para quem ama.
Beijinho de lua*.*

romantic disse...

forte elindo ,parabéns pelo poema!