Seguidores

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Retrato ardente....





No teu peito
é que o pólen do fogo
se junta à nascente,
alastra na sombra.
Nos teus flancos
é que a fonte começa
a ser rio de abelhas,
rumor de tigre.

Da cintura aos joelhos
é que a areia queima,
o sol é secreto,
cego o silêncio.

Deita-te comigo.
Ilumina meus vidros.
Entre lábios e lábios
toda a música é minha

Eugénio de Andrade

4 comentários:

fatima disse...

Belissimo poema,imagem,e estas musicas como entrada,nos deixam leves,como os pássaros,brincando num céu azul....
lindo Conde.............beijinhos...

Marcia disse...

Conde meu querido eu adorei a imagem!!O poema tbm,meu carinho para ti bjos!!

Sandra Botelho disse...

E nessa incandescencia de sentimentos e desejos que o fogo do prazer se alastra...
Bjos achocolatados

Liza Leal disse...

Bela postagem, Don!
Um lindo dia pra vc.

bjo
=)